26 de junho de 2017

Filme: Estrelas Além do Tempo (Hidden Figures)

O filme, que teve seu título traduzido como Estrelas Além do Tempo, quando o título original significa algo como "figuras ocultas", traz como protagonistas as lindas e talentosíssimas Taraji P. Henson, de Person of Interest, como Katherine Johnson, Octavia Spencer, de Histórias Cruzadas, como Dorothy Vaughn e Janelle Monáe, cantora americana, como Mary Jackson.

A história é baseado em fatos reais, ocorridos dentro da agência espacial americana, NASA, nos anos 60, quando os Estados Unidos vivia aquela coisa horrorosa da segregação racial, onde negros eram vistos como pessoas à margem da sociedade e não podiam frequentar ou usar coisas destinados a pessoas brancas.

Claro que em 2 horas de filme, não dá para o longa abordar com toda a riqueza de informações que seriam necessárias para ilustrar todas as atrocidades que essas mulheres sofreram para chegar lá, muito menos para sobreviver num ambiente tão hostil, mas dá para se ter uma pequena noção de como foi ser negro e mais, mulher, num ambiente que, ainda hoje, é considerado tão masculino, como a área de exatas, num momento em que Rússia e Estados Unidos disputavam uma acirrada "guerra" para ver quem tinha o domínio das tecnologias mais avançadas.

Se bem que, foi essa batalha que abriu espaço para essas corajosas negras com mentes privilegiadas, se destacarem, no meio de um monte de homens brancos, que se sentiram rebaixados duplamente, mas que não conseguiam fazer o mesmo que elas.

Em vários momentos do filme, nós que já vivemos numa sociedade um pouco melhor (longe de estarmos num mundo ideal, mas melhor do que naquela época), ficamos chocados com a ideia das pessoas brancas não suportarem a ideia de sentar num banco onde esteve sentando um negro, ou que banheiros tenham placas de "para pessoas de cor", entre tantas outras aberrações. Bem como é gratificante ver o personagem de Kevin Costner, Al Harrison, marretando uma dessas placas de "colored" e dizendo "nós mijamos todos da mesma cor"!

Aliás, no site da NASA (em inglês) tem um Q&A sobre a participação da NASA e a história por trás do longa, intitulado "Modern Figures", bem interessante.

Se você não assistiu, assista. O filme mostra que precisamos nos libertar das amarras do preconceito, seja ele de qual natureza for, para evoluirmos como sociedade. Mostra que quando unimos forças, podemos ser e fazer melhor em prol do coletivo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário