21 de agosto de 2017

Mc Dia Feliz 2017

Eu ando de mal com o Mc Donalds, porque cansei de pagar caro por um atendimento mal educado, lojas sujas e sanduíches bem mal feitos, mas o Mc Dia Feliz me dobra ao meio, porque, apesar de tudo, é uma ação bacana da rede, que além de doar a arrecadação líquida das vendas, ainda mobiliza uma porção de voluntários, entre famosos e anônimos, crianças, jovens e adultos, em prol de uma causa: fazer o bem.

Na unidade que eu costumo ir, um colégio particular da região reúne seus alunos e familiares para trabalharem durante todo o dia, animando, incentivando e vendendo outros itens que ajudam a arrecadar um dinheiro a mais para a campanha.

Como não se sensibilizar com isso?

A imagem acima, é a lâmina de bandeja, criada pelo ilustrador Hiro, o cara que cria essas folhas que cobrem as bandejas do Mc Donalds desde... sei lá quando! rs Ele publicou em seu Facebook, dia 14/08/2017, a arte criada para o evento e já deu a dica de que tem 2 assinaturas dele escondidas no desenho*.

Então, anote na sua agenda para ir no sábado, comer com a família inteira e os amigos, aquele Big Mac. Em outros tempos, eu e meus amigos já fizemos reuniões na cada de alguém, pedíamos para viagem tantos quantos cada um aguentasse comer e aproveitávamos para passar o dia juntos, conversando e nos divertindo.

Dia do Big Mac: 26 de agosto de 2017 - sábado
Local: todas as lojas do Mc Donalds (mas só vale comer Big Mac, ok!)
Horário: da abertura da loja (00h para as lojas 24 horas) até às 23h59 do sábado

ps: nesse dia o Big Mac não engorda. =)

* para quem não sabe, o Hiro sempre esconde sua assinatura nos traços dos desenhos da bandeja. O normal é que tenha somente 1 assinatura, mas às vezes ele se empolga e coloca mais. Eu sou daquelas que tira tudo da bandeja e coloca na mesa, para ficar com a lâmina inteira à vista e não levanto da mesa até encontrar as ditas.

14 de agosto de 2017

Livro: TED Talks - o guia oficial do TED para falar em público de Chris Anderson

Eu sigo o seguinte pensamento: quando você quer fazer algo, você precisa estudar, pesquisar, buscar exemplos, modelos, quem saiba mais ou algo diferente de você sobre o assunto, e nunca se deve achar que você já sabe o bastante, porque isso faz regredir em qualquer área.

Um dos meus hobbies é apresentar eventos, então eu sigo perfis nas redes sociais, assisto, ao vivo e em vídeo, muitas aulas e palestras de pessoas que eu tenho como referência.

E quando eu encontro algo ruim, presto tanta atenção quanto nos bons exemplos, porque sempre podemos aprender como não se faz algo vendo alguém fazer errado.

Mas o review de hoje não é sobre algo ruim, ainda que ele traga os exemplos que não se deve seguir.

O TED Talks é um ciclo de palestras muito conhecido por trazer pessoas destacadas em suas áreas para falar a um público, muitas vezes leiga no assunto, em um curtíssimo espaço de tempo, mais precisamente 18 minutos.

No livro, o atual presidente do TED conta casos de insucessos, os de sucesso e traz muitas dicas de como fazer uma palestra atraente nos moldes do TED, usando ou não recursos visuais, usando ou não grandes espaços, tendo ou não plateia presente e contando dicas que alguns de seus mais notáveis e destacados palestrantes deixaram ao longo de tantos anos, além de experiências pessoais adquiridas a frente do TED.

O livro aborda numa linguagem direta e muito clara os percalços de se falar em público e como conseguir se sair bem, mesmo que você seja um iniciante no assunto ou tenha pavor de fazê-lo.

A parte que eu mais gostei foram os exemplos do que não funciona nesse tipo de palestra e que qualquer um pode aplicar a diversas áreas quando o assunto for falar em público.

Se você é um mestre de cerimônias ou um aluno tentando impressionar a turma e o professor com seu seminário, leia esse livro e suas dicas que eu tenho certeza, vão te ajudar.

E para quem quer ver os vídeos das palestras destacadas no livro, acesse www.ted.com/tedtalksbook/playlist

7 de agosto de 2017

Show Internacional: Mizumori Kaori grand concert in Brazil

Grande destaque entre os cantores enka da atualidade, vem para 2 apresentações em São Paulo, a cantora Mizumori Kaori.

Apesar de já ter 20 anos de carreira, faz uns poucos anos que ela ganhou destaque no mundo quando conseguiu uma das vagas para se apresentar no tradicional programa musical de encerramento do ano, do canal de TV estatal japonês, NHK, chamado Kouhaku Utagasen.

Neste programa haviam 2 cantores, 1 da equipe masculina e 1 da equipe feminina, extremamente famosos por suas apresentações inusitadas e vestes que exigiam todo uma equipe de técnicos e engenheiros. Com a saída dos dois por motivos políticos, uma vez que no Japão questões de cunho ético e moral são muito relevantes, o show tinha perdido um de seus atrativos.

No ano retrasado, Mizumori Kaori já havia dado sinais de que estava disposta a investir no seu figurino para dar mais destaque à sua apresentação e no ano passado já mostrou que pode ser a próxima "Kobayashi Satiko" do Kouhaku.

Com uma bela voz e boas músicas, a cantora é muito aguardada pela comunidade de karaoke e amantes da música japonesa.

Para os mais jovens, a participação do trio Hayabusa e da ex-integrante do AKB48, Iwasa Misaki, são os destaques.

Data: 12 de agosto de 2017 - sábado
Horário: 1ª sessão às 15h, 2ª sessão às 19h
Local: Auditório Celso Furtado no Anhembi
Av. Olavo Fontoura, 1209 - São Paulo
Infos: www.mizumorikaori.com.br ou www.facebook.com/mizumorikaoribr

31 de julho de 2017

Review: Unboxing Samsung Gear Fit 2

Eu tinha um lindo Moto 360 Sports, da Motorola, mas acabei ficando sem ele depois de enviá-lo para a assistência técnica, na tentativa de conseguir a substituição do produto, uma vez que já é sabido que não há reparos pela assistência técnica brasileira, e descobrir que o produto foi descontinuado no Brasil, bem provavelmente em função dos problemas que ele apresenta e do nosso código de defesa do consumidor.

Na busca por uma alternativa e sendo usuária de um smartphone da Samsung, decidi comprar um Gear Fit 2, influenciada pelo mostruário que estava numa Saraiva Mega Store, que me permitiu dar uma fuçadinha no aparelho e ficar maravilhada com sua aparência.

O Gear Fit 2 não é considerado um smartwatch, mas uma sportband. Na prática a diferença é que algumas funções que não estão associadas à prática esportiva, não funcionam, mas as que eu uso, aparentemente, estão todas nele, sendo assim, a escolha depende muito do quanto você está disposto a desembolsar pelo produto e de qual uso você fará do gadget.

O unboxing dele só me deixou decepcionada pelo fato de não ter o adaptador que liga o carregador na tomada.

A caixa vem com o relógio, a base carregador que tem um fio com a ponta para conectar numa entrada USB e só! Sim, achei isso um pecado, mas vou relevar, porque eu tenho o que veio junto com meu celular e consegui comprar por bem menos do que está no site da Samgung¹. O jeito vai ser revezar.

Outro probleminha é que eu tive que comprar a pulseira grande, porque existe um mito de que mulher gosta de rosinha e a pulseira pequena você só encontra na cor rosa. Eu ajusto no último buraco da pulseira e acho até mais confortável de usar, mas para usar o monitor, eu preciso subir o relógio para que ele fique firme no braço para fazer uma medição mais adequada, que, diga-se de passagem, é bem apurada.

Uma coisa que eu achei bem legal é que ele te avisa se você estiver muito tempo parada. Como eu trabalho sentada, isso ajuda a lembrar que eu tenho que dar uma esticadinha. A cada 50 minutos sem movimento e ele te propõe levantar e fazer 5 repetições de torção de tronco, que ele conta.

Os testes de duração da bateria também são bem satisfatórios. Agora, já tem 1 mês de uso e eu consigo usar por até 2 dias. No geral, eu carrego numa noite, durante o tempo de eu jantar, tomar banho e me preparar para dormir. Ele só volta para o carregador na 2ª noite.

Claro que a duração da bateria depende do seu uso. Se usar todo dia para monitorar longas corridas, por exemplo, melhor carregar todo dia (ou noite).


Monitorar o sono é, no mínimo, interessante. Sabe aquele dia que você acorda e pensa "mas eu fui dormir cedo" e ainda assim está moído? Pois bem, usando o monitor eu descobri que uma das noites que eu acordei muito acabada, aparecia como seu estivesse acordada por 1 hora, a cada 1 hora de sono meia boca. Ou seja, eu acordei cansada, porque não dormi de verdade. Isso não substitui uma análise feita em uma clínica médica, mas já ajuda a observar quais são seus padrões de sono, como você se sente no dia seguinte e o que você fez ou deixou de fazer que pode ter resultado no sono ruim ou bom.

Problemas e as soluções

Quando você vai configurar um aparelho novo, sempre dá alguma coisa errada para a qual você fica pastando para encontrar na internet. A minha sorte é saber inglês, porque é mais difícil encontrar as soluções em português, mesmo quando o equipamento não é lançamento no mercado.
  • Caso 1: primeira carga
Eu coloquei o meu carregador na tomada, encaixei meu relógio e deixei, crente de que estava carregando. Depois de 2 horas, decidi tirar ele do carregador e tentar ligar... e nada! Era óbvio que eu fiz algo errado, mas o que?

Tirei o carregador da tomada, recoloquei e reposicionei o relógio, e depois de um tempo apareceu na tela o símbolo do raio, que indica carregando. O legal é que no manual (versão guia rápido ou completo que pode ser baixado no site da Samsung) não diz como fica a tela quando você está carregando. Eu sei que parece óbvio, mas poderiam ter desenhado como identificar se o relógio está ou não carregando.
  • Caso 2: ativar aplicativos de terceiros
Claro que a gama de aplicativos de terceiros que funcionam no Gear Fit 2 são limitados, porque ele tem sistema próprio, o Tizen, e você pode confirmar quais são na página de aplicativos no Galaxy Apps, loja de aplicativos da Samsung, que tem uma sessão exclusiva para o Gear (qualquer modelo).

Os apps de terceiros devem estar instalados no seu smartphone e ter uma espécie de plugin instalados no Gear. Aí que vem a pegadinha.

Eu já tinha o Endomondo (meu app de atividade física favorito) e o Map my run instalados no meu smartphone, então instalei direto o app para o Gear e fui tentar ativar.

Eis que ele deu o erro "Sem conexão bluetooth" e um botão abaixo indicando "Tente novamente".

Lá fui eu caçar a resposta, primeiro em português (sem sucesso) e depois em inglês, onde encontrei uma resposta de um cara que dizia "poxa, deveria ter tentando fazer isso antes de incomodar aqui" para a pessoa que respondeu. Ainda bem que ele escreveu a pergunta, assim eu não precisei perguntar. rs

A solução apresentada é bem simples: primeiro instale o app no Gear, desinstale os aplicativos do smartphone, reinstale os aplicativos no smartphone, faça o login na sua conta no smartphone. Entre no app no relógio (não precisa desinstalar e reinstalar aqui), abra e peça para iniciar que ele vai entrar normalmente. Já testei e foi simples assim.

Sobre o Endomondo, especificamente, todo usuário de Samsung, quando faz seu cadastro, ganha 1 ano de assinatura Premium, tanto no Endomondo, quanto no Map My Run, que são da mesma empresa, a Under Armour. Na assinatura premium, você tem acesso aos planos de treino que são bem bacanas, MAS, em consulta feita ao suporte do Endomondo, sobre o plano de treino, eles confirmaram que NÃO é possível carregar o plano no Gear.

Como os apps do celular e do relógio funcionam independentes, ainda que sincronizem na mesma conta, a sugestão do suporte é para que eu use o app do relógio só para visualizar os dados básicos, e siga os comandos de voz do treino pelo smartphone. Para não bagunçar, prefiro usar no pulso os dados do SHealth e no celular o treino do Endomondo. Assim não corro o risco de ter os registros de treinos bagunçados.
  • Caso 3: Apps de mensagens
Tem uma coisa que eu achei bem legal com relação aos apps de mensagens. Você pode receber os avisos de que entraram mensagens no Gear e pode deixar respostas rápidas programadas para enviar direto por ele, como um "ok" ou "estou ocupada". Não é possível digitar essas respostas na tela do Gear, você precisa fazer uma lista de respostas rápidas pelo smartphone, no app do Gear, e quando bastar um ok, você nem precisa sacar o celular para responder.

¹ Antes que você pergunte onde eu comprei, não foi no Aliexpress ou Ebay, porque depois de tantos problemas com smart"things" eu faço questão de pagar mais caro para ter a nota fiscal do produto e a garantia de 1 ano no Brasil. Eu comprei no site das Lojas Americanas, onde o preço era mais em conta na ocasião, o frete era grátis para essa compra e tinha desconto cumulativo para pagamento com o cartão da loja, que eu só tenho para aproveitar promoções. Pesquise bastante, porque o valor, quando eu comprei, variava entre 1.200,00 e os 890,00 que eu paguei.