23 de abril de 2018

Livro: Todos contra todos: o ódio nosso de cada dia de Leandro Karnal

O professor de História da UNICAMP virou uma celebridade num grupo de pessoas que eu classifico como pensadores modernos e, entre tantas atividades que acumula no momento, é autor de algumas obras que se tornaram bestsellers no Brasil.

Nessa publicação ele faz uma provocação dizendo “Só eu e você, caro leitor, cara leitora, não odiamos nem somos violentos, muito menos preconceituosos” e assim segue, em textos cheios de ironia e cutucadas para chamar a atenção do leitor que somos todos cheios de preconceitos e ódio, mas nunca assumimos, pois não conseguimos admitir nossos erros e defeitos.

Como sempre, Karnal escreve de forma direta, objetiva, sem floreios para quem queira ler, não para agradar aos demais, eventualmente, se autocriticando quanto aos temas abordados.

Vale a leitura reflexiva.

16 de abril de 2018

Livro: O Poder do Hábito de Charles Duhigg

Eu comprei esse livro por indicação de uma amiga e não me arrependo.

O livro fala sobre como criar hábitos pode nos ajudar a organizar coisas simples e resolver casos complexos na nossa vida ou numa organização empresarial.

Ele começa relatando o caso de uma moça, que chegou ao fundo do poço: estava obesa, bebia e fumava compulsivamente, afundada em dívidas, isso sem contar o marido que decidiu deixá-la.

Do nada, ela tem um clique e cria um objetivo de vida, porque ela decide que quer viver sem aquela sensação miserável que a estava consumindo e durante a jornada consegue deixar os vícios, organiza sua vida, arruma um emprego estável, volta a estudar e consegue superar suas dívidas a ponto de conseguir comprar uma casa.

Durante as pesquisas desse e outros casos, um grupo de pesquisadores, entre eles neurologistas, psicólogos, geneticistas e até um sociólogo, começam a estudar o que leva uma pessoa a mudar sua rotina e seguir adiante com tais mudanças.

Entre largar o cigarro, fazer consumidores desejarem um produto, mudar paradigmas empresariais para melhoria de ambiente de trabalho e até ajudar uma pessoa com alguma sequela cerebral a seguir sua vida, o autor vai mostrando como funciona nossa mente e como os hábitos criados podem nos beneficiar se bem trabalhados ou como mudar os maus hábitos que existem em nossas vidas.

Um livro de leitura muito agradável e pesquisas muito interessantes, recomendo para qualquer pessoa, que precisa corrigir maus hábitos ou que só quer saber como maximizar seu cotidiano.

2 de abril de 2018

Livro: O Mundo de Sofia de Jostein Gaarder

Eu comprei esse livro em 1997, quando ele aparecia como destaque em todas as listas de livros, além de estar sempre nas vitrines e ilhas das livrarias.

Eis que eu comecei a ler lá atrás e... nunca tinha terminado, porque eu não conseguia seguir a leitura como num livro de literatura qualquer. Eu precisava entender todo seu conteúdo e como sou, predominantemente, leitora de cama, isso era uma tarefa complicada.

Contei isso a uma amiga leitora e ela me fez uma proposta: vamos ler juntas.

Coitada, ela já leu uma vez e vive com uma fila enorme de livros, mas jurou que ela gostaria muito de reler o livro e essa era uma oportunidade para fazê-lo. Claro que eu aceitei.

Combinamos de ler pelo menos 3 capítulos por semana e sentar para comentar a parte lida. Tem sido uma experiência bem legal, porque cada uma fala o que achou, o que entendeu, e eu costumo ter sempre um comentário sobre a influência daquele filósofo no nosso Direito, que é de onde eu conheço a maioria dos nomes mencionados (por questões de agenda, as discussões ainda não estão na metade do livro, mas eu consegui terminar de ler o dito).

O livro é ótimo, me ganhou desde a primeira vez, o problema era eu e essa minha vontade de absorver o conteúdo dele nos mínimos detalhes (até parece DR rs).

A história conta o dia em que um garota chamada Sofia passa a receber cartas de alguém desconhecido com a proposta de lhe ministrar um curso de filosofia por correspondência. As cartas chegam de forma misteriosa e endereçada a ela que, mesmo sem entender a razão para ter sido escolhida para receber o curso, decide entrar de cabeça no desafio.

Ao longo do curso são apresentados os pré-socráticos, o trio de filósofos gregos mais famosos da História, os pós-socráticos e as teorias mais modernas, até chegar aos anos 90.

A leitura abre mentes e faz refletir sobre muitos aspectos sociais como, por exemplo, a ausência de mulheres entre os pensadores do passado, porque naquela época a mulher não era considerada um ser capaz de pensamentos complexos.

Se você curte uma boa fantasia com muita filosofia, vai amar essa leitura!

26 de março de 2018

Dica Cultural: Biblioteca do Parque Villa Lobos

Pensa num lugar com ambientação bonita, seguranças, muitos livros para leitura, banheiros limpos, bem ventilado e iluminado, com sala silenciosa para quem quer estudar em paz?

Estamos falando da Biblioteca Parque Villa Lobos!!!

Eu já tinha lido a respeito, visto fotos de uma "ilha" que fica bem no meio da biblioteca, com tatamis (esteiras de palha de bambu) que serve para as pessoas descansarem, jogarem jogos de tabuleiro ou se esticarem para ler, mas nunca tinha ido até lá, porque fica absurdamente longe de onde eu moro.

Como eu precisava ir para a Lapa e o caminho envolvia a estação de trem de mesmo nome, eu decidi que era hora de dar uma parada.

A biblioteca fica bem no meio do parque, ao lado do Orquidário professora Ruth Cardoso.

Um espaço menos amplo do que eu esperava, mas bem confortável, com 3 pisos, sendo o térreo destinado ao café, revistas, jornais e livros infanto juvenis, o 1° andar com livros de literatura de diversos países (tem 3 títulos em japonês, sendo que 1 deles é o 1Q84 do Murakami) e computadores com acesso à internet e no 2° andar mesas e poltronas para leitura, além da sala silenciosa, onde estão dicionários diversos e, de fato, as pessoas não fazem barulho, a maioria sozinhos em busca de um canto para estudar ou trabalhar, como eu.

Em todo o espaço é possível encontrar muitas tomadas no chão para carregar seu laptop, tablet ou celular, e acesso ao wifi gratuito com um rápido e simples cadastro no sistema interno.

O que eu mais gostei é o fato de você poder entrar com todos os seus pertences, sem necessidade de deixar suas coisas num armário e ter que carregar tudo o que você quer usar dentro da biblioteca no braço, como costuma ser em todas as bibliotecas que eu conhecia até então. Isso ajuda muito uma pessoa que, como eu, precisa levar seus próprios livros, cadernos e apostilas para estudar/trabalhar.

Claro que por conta disso, há seguranças aos montes na biblioteca, mas isso dá uma sensação boa para ficar tranquila, apesar de que eu nem sou doida de largar meus pertences, nem para correr até o banheiro, que fica no térreo.

Se você estiver mais perto, recomendo muito utilizar essa biblioteca, porque é muito agradável ficar lá.

Uma dica importante é que se você quer ter certeza que consegue uma mesa, chegue cedo, porque depois de um determinado horário a sala ficou lotada.

Mais infos no site bvl.org.br e se precisar de mais informações, pode enviar email que eles respondem em até 1 dia útil (pelo menos responderam para mim).